Precificar não é uma das tarefas mais fáceis, especialmente no mercado de luxo. Nesse caso, as estratégias de preço para produtos, muitas vezes, vão contra o que os gurus do marketing pregam.

O que não muda é o processo: para tal, você precisa considerar os gastos para produzir sua mercadoria, os canais de distribuição e as formas de promoção, além, é claro, da percepção de valor. Para produtos de alto padrão, um preço baixo demais pode fazer com que o consumidor deprecie ou duvide do que é oferecido.

Para que isso não aconteça com você, trazemos algumas dicas que ajudarão na hora de pensar em estratégias para esse nicho específico. Acompanhe:

Invista no branding

O valor percebido de um produto, isso é, a percepção de custo-benefício que o cliente tem, é o carro-chefe na condução do preço do produto. Por isso mesmo, um dos primeiros passos para trabalhar com mercado de luxo é construir uma marca forte por meio do branding.

Pense na Dior ou na Gucci: a primeira é forte e feminina, já a segunda traz um inegável quê vintage. É quase possível enxergá-las como pessoas. Isso é resultado de uma boa gestão de marca, que é exatamente o que o branding faz.

Caso trabalhe com uma multimarca ou seja revendedora, busque aliar-se a marcas que possuem o mesmo posicionamento que o seu e que já façam essa gestão de forma eficiente.

Seja transparente

Ao traçar estratégias de preço para produtos de alto padrão, é imprescindível levar em conta os custos atrelados – e ser transparente sobre eles com os clientes.

As matérias-primas, por exemplo, costumam ser mais caras, mas também possuem maior qualidade. Em outros casos, a mão de obra é complexa.

Use isso a seu favor! A Chanel, por exemplo, produz vídeos com o making-of de cada uma de suas coleções de alta costura para mostrar todo o trabalho envolvido.

Crie edições limitadas

Para o mercado de luxo, é importante que seus produtos virem item de desejo e que não sejam tão fáceis de conseguir. Uma boa estratégia para isso é investir em edições limitadas, que trabalham o mesmo senso de urgência que uma promoção geraria no mercado de bens de conveniência.   

Melhore a experiência do consumidor

“Exclusividade”, aliás, é uma palavra que deve estar sempre em mente quando o assunto é mercado de luxo. Ofereça além do que o consumidor espera para aumentar o valor agregado do produto.

Atendimento personalizado e individual é imprescindível, tanto para revendedoras quanto para lojistas. Para os últimos, é preciso também garantir um ambiente confortável, pensado em seu público-alvo.

Busque novos serviços e tecnologias que possam ajudar nesse sentido: existem serviços de realidade aumentada para provadores, por exemplo, algumas lojas oferecem stylists para clientes exclusivos, fora o serviço de sound branding, que trabalha a experiência sonora do consumidor dentro da loja. 

Esqueça comparações

Sabe tudo o que você aprendeu sobre concorrência e competição de preços? Então, não se aplica ao mercado de luxo. Segundo a revista para empreendedores Entrepreneur, o mais importante é ter uma identidade e não um posicionamento. Isto é, manter-se fiel a seu estilo em vez de se comparar sempre em relação a um concorrente.

Em vez de comparativos, o mercado de luxo prefere trabalhar com superlativos. Vende-se essa ideia de grandiosidade e identidade criativa. 

À primeira vista, muitas dessas estratégias de preço para produtos do mercado de luxo vão contra teorias de marketing tradicionais, mas é possível encontrar semelhanças e adaptá-las conforme você aprende a lidar com um público que busca exclusividade e singularidade.

Está procurando uma marca já estabelecida nesse mercado para trabalhar com revendas? Então entre em contato conosco!